Vinte e um dias se passaram…

Padrão

Eu adoraria dizer pra vocês que está sendo uma sucesso essa empreitada louca mas, até aqui, foi um montanha russa de “jura que ia dar certo né?” com “quer saber que se exploda a faculdade” e uma pitada de “quais são bons motivos pra viver mesmo?”. Pessoalmente, culpo as comédias românticas e as sitcoms. Claro, nos filmes e séries, o protagonista começa o enredo bem, aí tudo dá errado, então vem o momento do chega e ele se revolta com a tudo que está errado (alguém aí se identifica? hã hã?) e então começa uma mudança geral, super determinada com uma trilha sonora eletrizante tipo, ACDC. E aí o personagem consegue tudo pelo que vinha lutando. Perfeito né? Pois é, na vida real não parece ser bem assim, para minha decepção.

A verdade é que esse tipo de mudança exige um desconstrução geral, onde você começa a analisar parte por parte, quem você é e o que você faz. E olhar para dentro de si mesmo pode ser  muito mais difícil do que se pensa, você não sabe o que pode encontrar. Imagino você aí lendo este post e pensando, mas eu me conheço, e gosto assim. Se a resposta for sim. Parabéns! Mas as vezes a gente se surpreende com algumas peculiaridades que fazem a gente se sentir estranho e até meio solitário, percebe que alguns defeitos que atrapalham a sua vida mais do que você imaginava e outros que você nem tinha se dado conta que tinha, alguns preconceitos velados e pequenas mentiras que pareciam inofensivos.

Foi o que eu fiz, e caaaaaaara isso dói. Dói porque não tem a quem culpar, não há nada a fazer além de aceitar que você é responsável pela sua vida e o seu futuro e se você não der um jeito na casa, abrir as janela e pegar as rédeas, ninguém o fará por você. Claro que ganhar na mega, poder abrir meu próprio negócio e ter tempo e grana pra ter um personal trainer, nutricionista e alguns tratamentos estéticos ajudaria muito.

Não sei dizer se foi reflexo dessa empreitada, mas várias áreas da minha vida resolveram se desconstruir também. Lembra aquele seminário que eu não tinha terminado?  Terminei, mas quando cheguei na universidade naquela noite, minha professora me informou que eu estava rodada por faltas, embora não tenha nem chegado a entrega do relatório, a prova dois muito menos a substituição. Ainda, na maior cara de pau, disse que eu poderia apresentar o meu seminário se quisesse. Lendo o que acabei de escrever parece que foi uma conversa pacífica, cheia de aceitação ou alívio. Mas, bom, imagine isso com algumas lágrimas exponenciais foi quando eu reparei que eu faço barulhos estranhos e muito altos quando choro. Mas ok, vamos ver pelo lado bom da coisa, grande coisa que eu rodei de novo em estágio 1, pelo menos tenho as quartas livres agora. Seguimos com a vida. Ahan, tá.

Uma coisa importante sobre mim é que sou Escotista, trabalho voluntariamente chefiando escoteiros de 14 a 18 anos. Sou escoteira desde os 12 anos, isso toma maior parte da minha vida  e é um dos meus grandes amores. Sem entrar em detalhes, tudo está de desconstruindo nesse campo também, e isso sim, me abalou profundamente. Não ter postei aqui durante esses 21 dias, porque eu simplesmente não estava em condições emocionais para isso, foram tantas lágrimas que fiquei desidratada e com dores por causa dos tremores eu disse que sou estranha quando choro, parecia uma ressaca pós-porre de tequila, porém após tomar o porre saí e fui atropelada por uma motocicleta, uma picape e um monster truck, nessa ordem. Eu não sei exatamente como será a minha vida daqui pra frente. Me senti impotente, derrotada e traída. Como se tivesse levado uma surra e estivesse tentando me levantar. Só preciso de um tempo, tirar forças de algum lugar e seguir. Só se pode seguir não?

Ontem fui fazer a minha rematrícula e descobri que faltam onze cadeiras para terminar a faculdade e que no próximo semestre eu só poderia cursar 5 disciplinas, pois era só o que tinha disponível das que eu precisava, então faltarão exatamente 6 cadeiras para concluir o curso. O problema é que a semana só tem 5 dias úteis e não me resta nenhuma cadeira EAD ou no sábado pra eu fazer. Em outras palavras, rodar no estágio 1 me impediu de concluir o curso um semestre antes. Será que eu posso continuar com o CHEGA! CHEGA! CHEGA!? Pois sinceramente foi a gota d’água. Depois o cara tem Um dia de Fúria, sai metralhando as pessoas por aí, o cara é ruim.

Só passou 21 dias? Sério?

Prometo um post mais feliz na próxima e antes de 21 dias.

 

Anúncios

Sobre Bruna

Sonhadora convicta, megalomaníaca, neurótica, meio pirada, metida a aventureira, estudante de Biologia, Técnica em Meio Ambiente, desajustada e de pavil curto, mais no fundo uma boa pessoa! Tenho mania de inventar um monte de coisas que acabo não terminando, e outras tantas que termino ou que nunca terminam. Vivo através da paixão, o resto é sobrevivência. Paixão por literatura, cinema, música, dança, culinária, por acampar, por viajar, por ser, por sentir... Tenho manias que ninguém entende e tenho um mundo particular que chamo carinhosamente de "Minha Bolha Roxa".

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s